10 clichês dos filmes de terror que NINGUÉM aguenta mais.

Browse By

Apesar de ser um dos gêneros mais amados, os filmes de terror também são uns dos mais ”odiados”. Muito dessa birra vem do fato de que essas produções são carregadas de clichês e muitas delas tem uma qualidade extremamente duvidosa por usar e abusar desses inúmeros artifícios. Mesmo que em alguns casos esses fatores ainda divirtam e nós adoramos, não dá para negar que os vícios narrativos das histórias macabras já não tem o mesmo efeito há algum tempo. Vamos falar sobre alguns deles? 🙂

O Demônio contorcionista.

Saudades do possuído raiz, que só vira a cabeça 360º e debocha profanidades em latim. Esses demônios que pulam na parede tipo Homem Aranha, se dobram igual uma amoeba e (em casos mais bizarros) tem visual feito por computador não estão com nada.

O amigo que chega de mansinho.

Todo mundo acha que é Satanás fazendo mais uma vítima, mas na verdade é só o amigo idiota que chega devagarzinho, como quem não quer nada, para assustar o protagonista e enganar o povão.

O defunto que revive para assustar.

Ninguém cai mais nessa de que o vilão ou alguém morre de primeira, né? Ele só fica ali deitado no chão esperando alguém chegar perto e poder dar seu último grito ameaçador… ou pegar nas pernas ou braços do protagonista, claro.

ps: com o susto, é muito comum os mocinhos dispararem a arma na cabeça ou coração do vilão.

A cidadezinha do interior.

Porque só as cidades pequenas escondem terríveis segredos e ameaças?

A reviravolta da reviravolta.

Nós clímax do filme a mocinha derrotou o vilão e descobriu seu terrível segredo. Pena que quando tudo está resolvido, nós descobrimos que nada funcionou… e o personagem morre enquanto escova os dentes, atravessa a rua, ou em alguma situação bizarra. Só nos resta a tela preta, os créditos subindo e claro, na maioria dos casos, a frustração.

Os objetos que caem e fazem barulho de trovão.

É realmente necessário esse estardalhaço todo para uma cadeira cair?

O sonho.

Normalmente é uma cena tensíssima do filme, aquela que no trailer nós pensamos: ‘’CARAMBA QUE FODA’’. Só que ela não existe de verdade, foi apenas um sonho e uma desculpa para jogar um sustinho na galera. Porém, vamos dar o braço a torcer e assumir que em alguns casos ela funciona, rs

O susto falso, seguido do susto verdadeiro.

A tensão foi estabelecida e tudo indica que um susto tá vindo por aí. A mocinha vai abrir a cortina, ai meu Deus, ela se aproxima, ai ai ai ai, ela tá chegando mais perto, ai socorro vão pular nela, ela vai abrir e … nada! Ufa, respiramos aliviados, ai ela vira pra trás e *BOOM* o amigo chegou de mansinho ou a cadeira caiu fazendo barulho de trovão.

O fujão.

Finalmente os mocinhos conseguem atacar o vilão, ele está caído no piso e tudo está prestes a ser resolvido, só que ai alguém chega e tira atenção da galera, quando a câmera volta para o chão, CADÊ ELE? #mistérios

O espelho.

Todo mundo já sabe que espelho  é sinal de susto, não é verdade? Se ele estiver embaçado então nem se fala. Só resta saber se quando você for abrir ou limpar,  o que vai aparecer é: o amigo chegando de mansinho, o rosto do demônio contorcionista ou o vilão. É muito comum a reviravolta da reviravolta acontecer neste momento.

Victor Piacenti
Editor Chefe | | Também do autor.

Um cara fanático por Stephen King, que sente um prazer imenso ao ver uma cidade sendo destruída na tela do cinema. Além de ser sagitariano, não sabe andar de bicicleta, é viciado em coxinha e acredita (até demais!) em ETs.

>