10 motivos para assistir The Expanse

Browse By

Produção do Syfy e distribuída por aqui pela Netflix, talvez a melhor forma de se resumir The Expanse seja fazendo uma comparação boba com Game of Thrones, então, de certa forma, The Expanse é como Game of Thrones no espaço. Nesse universo onde Marte já é uma nação independente da Terra (que vive sob a bandeira das Nações Unidas, formando um só povo) a história gira em torno das tensões políticas entre Terra, Marte e o Cinturão (grupo de estações no cinturão de asteroides no fim da parte interna do Sistema Solar), onde todos tentam sobreviver à escassez de elementos essenciais, como a água.

Chegando ao fim de sua temporada, aqui estão alguns motivos para admirar essa preciosidade! VEM COMIGO!

#1 – Chrisjen Avasarala

Impossível não começar essa lista pela cereja desse bolo espacial. Interpretada pela fantástica Shohreh Aghdashloo, Chrisjen é uma executiva assistente do primeiro ministro das Nações Unidas e é basicamente a personagem mais f%@$ dessa série. Dona de uma atenção e sentidos afiados, Chrisjen não deixa nada passar batido e se não fosse essa mulher, a Terra já teria sido destruída ou entrado em guerra com Marte desde o primeiro episódio.

#2 – Elenco

Sem muitas estrelas de renome, o elenco de The Expanse surpreende por vender muito bem a ideia construída na trama. Da pluralidade dos membros do elenco terrestre, a pluralidade e construção dos personagens Marcianos e Cinturiões (tradução minha para Belters, povo que vive em qualquer das estações do cinturão de asteroides e não são nem Marcianos nem Terrestres), tendo seus maneirismos, elementos e até linguagens próprias, algo que ganha destaque nos sotaques naturais do atores escolhidos.

#3 – Escrita

The Expanse também é uma série que surpreende por sua escrita. Muito contida, The Expanse parece trilhar com maestria em um campo minado de chances de pisar fundo no exagero, a única outra série com a qual consigo achar uma semelhança distante é – pasme – The Good Wife/The Good Fight. Sabe aquele silêncio e ao mesmo tempo caos que a série sabia/sabe manejar com excelência? Então, The Expanse sabe trabalhar bem a calma antes da tempestade, sendo populada por cenas incríveis sejam em uma sala de reuniões das Nações Unidas ou durante a manobra de uma nave no espaço.

#4 – Efeitos

Okay que os efeitos na televisão tem melhorado cada vez mais, mas em The Expanse é simplesmente ridículo o quão lindos os efeitos dessa série conseguem ser! Desde a composição do espaço, passando pela criação das cidades Marcianas e Terrestres à criação das naves e estações espaciais com tantos detalhes que mesmo pausada é de cair o queixo e em movimento é de fazer o queixo rolar pelo chão. E não vá pensando que é só nos episódios cruciais que eles botão mais dinheiro, nananinanão, os efeitos são concretos ao longo de toda a temporada, sem faltarem em momento algum!

#5 – Realidade além da ficção.

Talvez a melhor parte de The Expanse é como toda a ficção serve a narrativas realistas, sem se perder em um labirinto high tech, sendo vazia de qualquer coisa. Sempre com foco no lado humano (que agora ganha mais dimensão ainda quando se considera os humanos marcianos ou do cinturão), a série possui conflitos não muito distantes da realidade terráquea de 2017, onde embora todos sejam em essência Humanos continuam divididos e cada vez mais distantes um do outro, seja literalmente pela vastidão do espaço ou pelas diferenças.

#6 – SCI-FI NA VEIA!

Embora The Expanse trabalhe muito bem seu lado humano, ela arrasa no seu lado tecnológico e além. Na verdade a tecnologia de The Expanse é tão impecável que ela chega a passar batido e isso é incrível, pois é algo debatido hoje em dia, onde quanto mais comum é uma tecnologia, mais invisível e absorvida pelo ambiente ela é, não causando um estranhamento em quem a vê, por exemplo, você se chocaria ao ver que um shopping possui um menu interativo com todas as suas lojas, localização de todos os banheiros, saídas emergência e praça de alimentação?

E claro que nem só de tecnologia vive um sci-fi. E além de toda tecnologia servir a trama e não causar estranhamento, toda a história gira em torno de elemento puramente scifi, abordado várias vezes no cinema, mas que eu não vou contar que é pra não estragar a surpresa hehe

#7 – Originalidade

Mesmo que muito de seu conteúdo não seja original, sua abordagem do mesmo definitivamente é e ao mesmo tempo não é irreconhecível. Com uma abordagem contida e visual, The Expanse possui um tom único entre muitas séries, destoando até mesmo de tudo que o canal Syfy já trouxe a vida e ainda sim tendo semelhanças com The Good Wife e Game of Thrones, por trabalhar bem a tensão entre seus muitos núcleos.

#8 – Direção

Esse é um ponto que apesar de diluído nos outros tópicos, merece uma menção só sua. Apesar de mais comum após a chegada de grandes nomes a TV (como David Fincher em House of Cards), ainda não é tão comum a direção saltar aos olhos ao se assistir um episódio. No entanto em The Expanse foi uma das primeiras coisas que me ganharam, principalmente pelas cenas envolvendo naves se movimentando no espaço, que não exageram em absolutamente nada, e assim como todo o resto da série se atém ao realismo.

#9 – Rocinante

Ignore o nome desse tópico, ele pode ser um leve Spoiler (mas não exatamente), mas com ele me refiro a um núcleo do elenco, composto por James Holden (Steven Strait), Naomi Nagata (Dominique Tipper), Amos Burton (Wes Chatham) e Alex Kamal (Cas Anvar). Os membros da nave Rocinante são, com exceção de Chrisjen, meus favoritos na série. Um núcleo rico, com personagens BEM diferentes entre si e que tá sempre se metendo onde não devia, assim criando momentos sensacionais. Saídos de um de cada canto do Sistema e com histórias variadas, eles se complementam e formam uma ótima equipe, mas com talvez segredos demais para durarem muito.

#10 – História

Eu sei que já destaquei a escrita da série, mas sinceramente de que adianta algo ser bem escrito se não for uma história que cative, pois The Expanse tem ambos!  Enquanto as tensões entre Terra, Marte e o Cinturão vai aumentando em cima da crise de suprimentos (e o velho preconceito entre povos), uma nova ameaça que coloca em perigo todo o sistema vai tomando cada vez mais proporções terríveis! A questão é realmente essa: será que esses povos irão perceber o perigo e superar as diferenças antes que seja tarde demais?

BÔNUS

Olha essa abertura linda, gente!

Eu conheci essa série ainda no final do ano passado, mas foi amor à primeira vista, espero que meus 10 motivos te convençam a pelo menos ver o primeiro episódio, e AH toda a primeira temporada já está disponível na Netflix e como a série é distribuída por ela aqui no BR, a segunda deve entrar em breve por lá, já que acaba semana que vem! 😉

Silas Mendes
Colaborador | Também do autor.

22 anos. ex-cinéfilo, deixou o cinema para viver com a TV e suas várias séries, mas mantém uma relação sadia com a sétima arte, com quem ainda divide laços afetivos (filmes favoritos). Música, livros, quadrinhos (DC Comics), escrita e ansiedade… cansado na maior parte do tempo.

>