”Antes Que Eu Vá” é um filme simples com uma mensagem muito bonita.

Browse By

Baseado no livro da autora Lauren Oliver, Antes Que Eu Vá conta a história de Sam, uma garota que dá pouca atenção a sua família, mas idolatra suas amigas e sua vidinha popular na escola. Só que um belo dia isso muda, pois depois de uma festa que terminou de uma maneira terrível, a garota e sua trupe sofrem um acidente fatal. Ao acordar na manhã seguinte achando que ‘’sua morte’’ não passou de um sonho, Sam descobre que está vivendo aquele dia novamente e que há lições importantíssimas a serem aprendidas antes que ela realmente siga seu caminho. Nem que isso tenha que se repetir de novo, e de novo, e de novo….

Servindo como uma mistura de ‘’Feitiço do Tempo’’ com ‘’Se Eu Ficar’’, este é um filme que tem a declarada pretensão de fazer o espectador mais sensível (tipo eu) chorar bastante. Pelo título isso já ficou meio claro, não é verdade? Mas fiquei impressionado por que mesmo com essa linguagem bem específica para o público teen, a mensagem no final de tudo é super bonita e atinge todos as idades.

Abordando assuntos como família, bullying e enxergar quem as pessoas realmente são, Antes Que Eu Vá,  consegue ser bem eficiente em sua proposta, deixando uma reflexão um tanto quanto mórbida – mas pertinente – se você tem questões em aberto seja com amigos, familiares, ou até consigo mesmo. Se isso está acontecendo na sua vida ou você apenas se emociona fácil, pode levar a caixa de lenços, as chances de você precisar são grandes, afinal de contas, o filme questiona a todo momento as escolhas da personagem e todas as ações que fazemos ou deixamos de fazer ao longo de um dia. Pesado, né? Em diversos momentos me peguei pensando nisso e fiquei com vontade de abraçar muita gente que não falo há muito tempo (mas possou depois, rs).

Por se tratar de personagens adolescentes e focar muito no bullying, talvez role uma certa antipatia pelas atitudes da protagonista e a história não te comova. Eu mesmo comecei a assistir e peguei um birra gigante de tudo, mas ao longo em que a trama se desenvolve e vemos suas mudanças, isso começa a ficar diferente, é algo proposital da história que eu achei bem interessante. A temática é retratada de uma forma diferente e isso tem muito valor para o seu público alvo, afinal, a depressão é algo sério e creio que a tentativa de levantar essa reflexão foi super válida.

O dinamismo da trama e a maneira que ela se desenvolve é muito envolvente,  mesmo com todos aqueles velhos clichês que em casos tipo esse se fazem necessários. Tudo bem que a menina que é vítima dos ataque não precisava ser tão caricata, mas ainda assim, quanto mais falarmos sobre as consequências de atos opressores, melhor. Dentro de sua proposta e com muitas limitações diante ao mundinho que seus personagens vivem, Antes Que Eu Vá consegue um resultado bem satisfatório e acredito que não vá ser esquecido com facilidade pela galera que gosta desse tipo de filme.

Com frases bonitinhas, um elenco empenhado e uma trama que retrata problemas sérios do cotidiano de uma forma não tão convencional, Antes Que Eu é uma opção válida para aquele dia que você quer refletir um pouquinho sobre suas atitudes e conceitos. Ele não vai fazer você ter um nirvana de pensamentos e nem atingir o limite da sua psique, mas com seu jeitinho simples, a sua mensagem consegue sim ser passada de forma adequada e creio que é isso que verdadeiramente importa, não é mesmo? 😉

Victor Piacenti
Editor Chefe | | Também do autor.

Um cara fanático por Stephen King, que sente um prazer imenso ao ver uma cidade sendo destruída na tela do cinema. Além de ser sagitariano, não sabe andar de bicicleta, é viciado em coxinha e acredita (até demais!) em ETs.

>