“Artista do Desastre” é tão louco e escrachado que nos cativa.

 

Artista do Desastre é um filme que já chega se destacando, não apenas por ser considerado um cult, mas por realmente ter caído nas graças tanto do público quanto da crítica, inclusive, sendo nomeado ao Globo de Ouro e segundo os boatos, ter muitas chances de ganhar também uma indicação ao Oscar 2018, tornando o que parecia um escracho de um filme, baseado em outro filme, que foi baseado num livro, algo que realmente surpreendente e capaz de superar qualquer expectativa.          

Baseado no livro, The Disaster Artist: My Life Inside The Room, The Greatest Bad Movie Ever Madede Greg Sestero e Tom Bissell, a obra nos traz o próprio Greg Sestero (interpretado por Dave Franco), um jovem ator com um desejo gritante de se tornar um grande astro de cinema. Ao conhecer Tommy Wiseau (James Franco), o tipo de pessoa com uma aura pra lá de estranha, excêntrica, misteriosa, e com uma fonte de renda infinita que ninguém saberia dizer exatamente de onde veio, eles dois decidem partir para Los Angeles para tentar concluir seus planos de se tornarem grandes astros.

Com inúmeras tentativas falhas de se encaixarem no meio artístico, e um fracasso que se sucedeu por meses, os dois decidem fazer seu próprio filme, com Wiseau atuando como diretor, produtor, roteirista e ator principal, enquanto que Sestero trabalharia como ator coadjuvante. Só que eles mal podiam esperar pelo resultado mais do que surpreendente: um filme tão ruim que chega a ser bom e conquistou muitas pessoas ao redor do mundo…  que claro, não contarei sobre o que ele realmente fala.

James Franco, auxiliado por seus companheiros Dave Franco e Seth Rogen, brilha e não deixa dúvidas sobre a sua capacidade de atuação. Assumindo a direção de Artista do Desastre com seu toque de deboche, torna tudo realmente sensacional. Isso sem falar no trabalho de maquiagem e caracterização que o deixaram parecendo uma outra pessoa.                            

Embora tenha se perdido em subtramas no início e inserido outros personagens com subtramas cuja relevância não eram tão grandiosas assim, tipo Zac Efron e Danny McBride, ele acaba engrenando bem e se desenvolvendo melhor lá perto da metade, se tornando mais do que surpreendente, nos arrebatando e envolvendo nessa história louca e lotada de humor ácido e absurdo.                

Fica difícil de entender como que o filme foi baseado em fatos reais, nós ficamos com aquela sensação denão é possível que a pessoa seja mesmo assim” e isso torna tudo ainda mais cativante e divertido. É com esse sentimento de satisfação que a gente sai do cinema, já que o  filme retrata de uma maneira mais ácida e debochada como funcionam as relações de amizade e como devemos valorizar os nossos sonhos, o que aprendemos enquanto amadurecemos essas relações e esses desejos.

Artista do Desastre é tão contagiante que a gente embarca e deixa de lado qualquer erro ou apego à realidade que a película possa ter nos apresentado. Com um clima louco e escrachado, ele nos surpreende, cativa, e embora pareça insano, tudo acaba fazendo sentido e passando essa mensagem legal sobre como devemos perseguir nossos sonhos e como devemos valorizar as amizades, embora ninguém seja perfeito.

Liliane Stoianov

Trintona, psicolouca, pedagoga, ama viajar, tocar piano, compartilhar minha paixão que é o cinema, os devaneios e o que mais vier à cabeça durante as tramas e películas que assisto.

>