Filmes que mostram a amizade entre cães e humanos

Browse By

Oi gente, tudo bem? Com o lançamento do filme Quatro Vidas de um Cachorro, fiquei com mais vontade de assistir filmes de cachorrinhos e separei alguns filmes que sempre me fazem chorar e que provam que os cachorrinhos são sim nossos melhores amigos. Ah, se vocês tiverem algum para indicar, não esqueçam de deixar nos comentários, ok? <3

Sempre Ao Seu Lado

Parker Wilson (Richard Gere) é um professor universitário, ao retornar do trabalho encontra perdido na estação de trem Hachiko, um filhote de cachorro da raça akita, conhecido por sua lealdade, ambos se identificam rapidamente e todos os dias Hachiko acompanha seu dono até a estação de trem.

Não da para acreditar que esse filme é baseado em uma história real, quem assiste morre de vontade de viajar até o Japão e ver a estatua do Hachiko na estação Shibuya. :,(

Sempre Ao Seu Lado é uma refilmagem do filme japonês chamado Hachikô Monogatari (1987), com roteiro de Kaneto Shindô.

Marley e Eu

Casados recentemente, os jornalistas John (Owen Wilson) e Jennifer Grogan (Jennifer Aniston) decidem começar suas vidas em West Palm Beach, na Flórida. Indecisos sobre suas capacidades em serem pais, resolvem adotar um cachorrinho, Marley um labrador de 5 Kg que torna a casa deles um caos… e cheia de amor.

Outra história baseada em fatos reais, seu livro virou um best-seller e arrancou muitas lágrimas e logo vamos chorar mais quando lançar a série na NBC. É lindo acompanhar a amizade entre John e Marley e as encrencas que os dois passam juntos.

Meu Cachorro Skip

Willie Morris (Frankie Muniz) mora em Mississipi, é um garoto tímido que tem muita dificuldade em fazer amizades. Seus pais Ellen (Diane Lane) e Jack(Kevin Bacon) lhe dão um cachorro, que recebe o nome de Skip. Com o passar do tempo Skip é conhecido pela vizinhança toda, além de se tornar o grande amigo de Willie.

Esse filme nos faz ter um passeio pela nossa infância e o amor por nosso primeiro bichinho de estimação e as dificuldades de poder tê-lo. Esse filme é um espetáculo de experiências vividas e a relação do menino e Skip é um exemplo e também nos arranca muitas lágrimas.

Mato Sem Cachorro

Deco (Bruno Gagliasso) encontra dois grandes amores de uma vez só: a radialista Zoé (Leandra Leal) e o cachorro Guto, não demora muito para o trio viver como uma família. Os problemas começam quando após dois anos, Zoé termina o namoro e fica com a guarda de Guto, deixando Deco revoltado que planeja uma vingança sequestrando Guto.

O filme é muito engraçado e acho que muitos casais se identificam na hora de disputar a guarda de seus filhinhos de quatro patas após terminar o relacionamento.

A Caverna do Cachorro Amarelo

Uma família nômade da Mongólia se encontra em desacordo quando a filha mais velha, Nansal, encontra um vira-lata e o leva para casa. Acreditando que ele é o responsável por atacar suas ovelhas, seu pai não deixa a filha ficar com ele. Quando chega a hora da família se mudar, Nansal decide desafiar seu pai e leva seu novo amigo junto.

A diretora Byambasuren Daava registra a cultura e o estilo de vida dos povos nômades de Mongólia neste drama-documentário, com atores amadores, mas cheio de sensibilidade.

Cruel Dilema

Este filme apresentou o então raro cão de raça para o público americano – Basenji, uma das mais antigas raças de cães. Na África, ele era usado como guia nas florestas, sendo capaz de assinalar animais ferozes, bem como de caçar presas menores.

Esse filme não é muito conhecido, mas vale muito a pena assistir, cheio de nuances e detalhes, servido com uma grande naturalidade sobre essa etapa de criança e adulto.

Lassie (1994)

A família Turner decide começar uma nova vida e decide morar na Virginia. Com dificuldades para de adaptar, o jovem Matt (Thomas Guiry) se sente perdido e solitário. E um belo dia conhece uma acolhedora cadela da raça collie, que o ajudará a adaptar-se à nova vizinhança.

Acho que a maioria das pessoas conhecem essa cadelinha linda e o amor que ela tem por seus donos através do filme de 2005 (que vivia passando na sessão da tarde), mas vale a pena assistir este mais antiguinho, que nas minha opinião  é ainda melhor.

 

 

Patricia Luchetti
Colaborador | Também do autor.

21 anos, mora em São Paulo (ou nas profundezas de Mordor). Estudante de arquitetura e Urbanismo, apreciadora do mundo cinematográfico desde que aprendeu a ligar a TV sozinha. Gosta de coisas esquisitas, metal progressivo, nerdices e vive em busca de um bom filme de terror. Sabe que vai ter um dia bom quando pode passar ele inteiro vendo séries e filmes com um copão de Coca-Cola.

>