Luke Cage (1ª Temporada)

PRECISAMOS FALAR SOBRE LUKE CAGE!  A primeira aparição do personagem no Universo de Séries da Marvel foi durante a série Jessica Jones, também da Netflix. (quem não viu, ainda dá tempo galera, corre lá!). O personagem fez tanto sucesso que o seu programa, que seria lançado só em 2017, foi adiantado e transmitido ainda em 2016. Luke Cage é o último acerto da parceria entre Marvel e Netflix. Bom, vamos começar essa análise falando um pouco sobre a história dele nos quadrinhos, para aqueles que não a conhecem. Carl Lucas foi criado por Archie Goodwin, John Romita e George Tuska em 1972, sendo um dos primeiros personagens negros a ter grande destaques nas HQs. Sua importância já era notada na época, trazendo a questão do racismo e uma forte crítica social que não estava tão presente nos anos dourados.

luke-cage-3

Luke Cage começa um pouco lenta, nos dois primeiros episódios você não sente uma grande firmeza (apesar de ela ter me fisgado já no primeiro, devido a maravilhosa trilha sonora e ao fundo de “black music” que a série traz), mas é a partir do terceiro episódio que ela começa a realmente te prender. Conforme a série vai evoluindo, os personagens evoluem com ela. Os vilões, talvez os melhores e mais bem trabalhados do universo Marvel junto com Wilson Fisk, são de deixar qualquer psicopata de filme de terror de cabelos em pé, vide Mariah Dillard (que vilã sensacional, minha gente!), ela é a personagem vilanesca que as séries de super-heróis precisavam. Você fica impressionado com a frieza que ela carrega, talvez devido a experiências passadas.

luke-cage-4

O personagem central, Carl Lucas, traz consigo algo que está muito presente nos EUA em 2016: a crítica racial. Talvez este seriado seja um dos mais atuais já feitos, abordando por exemplo, o abuso policial contra os negros e a importância do empoderamento negro. Não bastasse isso, Luke Cage possui uma gama de personagens fortes femininas que pouquíssimos programas de TV tem, como a obstinada e justa Misty Knight, a corajosa e destemida Claire Temple (que pra mim é a melhor personagens de todas as séries lançadas pela Marvel até o momento), a inspetora Priscilla Ridley, obviamente a vilã Mariah Dillard e olha só gente, nossa amada Sônia Braga está participando como Soledad Temple, mãe de Claire.

luke-cage-2

É incrível como a Netflix conseguiu dar um tom para cada seriado. Em Luke Cage você vê o tom amarelo presente em toda a série, das roupas aos cenários, tudo remete a essa cor. O Harlem’s Paradise, uma boate, traz o fundo musical que a série precisava, e olha, é de ficar babando com as cenas musicais. Além disso, as referências aos outros personagens, como Matt Murdock, Jessica Jones e até a batalha de New York estão presentes tão naturalmente que você mal percebe que são referências, mostrando novamente a fluidez e coesão do UCM.

luke-cage

Luke Cage é definitivamente mais um acerto da Netflix, trazendo além de um personagem forte e que não tem medo da pancadaria, uma crítica racial necessária na atual situação que os EUA vive e dando espaço para que personagens femininas ganhem destaque dentro do UCM. Vamos lá galera, vão assistir, essa série é sensacional!

5 estrelas

Edervan Baldin

Amante de ficção científica e filmes de super heróis. É fominha por seriados e ainda está esperando receber a cartinha para Hogwarts ou aparecer um guarda roupa que leve à entrada para Nárnia.