“Olhos Famintos 3” chega a dar agonia de tão ruim que é.

Depois de anos com o diretor Victor Salva tentando tirar sua menina dos olhos do papel, envolvendo até um processo por abuso de menor, Olhos Famintos 3 finalmente ficou pronto. Com um circuito limitadíssimo nos cinemas dos EUA e sendo massacrado nessas exibições, esse terceiro capítulo foi direto para as telas do canal Syfy e o resultado não poderia ser mais assustador… não falo isso em um bom sentido.

“eu sou bonita, não tenho estria, meu peito é duro!”

A história é tão confusa que não dá nem para explicar direito quem o filme acompanha e aonde ele quer chegar, mas basicamente são três núcleos que estão se preparando para o despertar do Jeepers Creepers depois de 23 anos da última aparição. Acrescenta aí um total de personagens com zero de carisma e um nexo inexistente, tá pronta a receita do fracasso. Eu não sabia onde ele começava e onde ele terminava, é bizarro, simplesmente acompanhei tudo e sem entender bosta nenhuma. Não a nada ali que faça comprar a história e se divertir com ela, mesmo com todos os defeitos.

Mesmo aparecendo muito mais vezes do que nos anteriores, a Criatura de Satanás é extremamente mal aproveitada, apenas matando uma galera aleatória e conduzida por efeitos especiais que são tão ruins que chegaram a me assustar pela falta de cuidado. Para esse tipo de filme eles não precisam ser maravilhosos, mas também não precisa ser tão avacalhado, né? É chocante a falta de cuidado, tanto na narrativa quanto na estética, e nem é desculpa do baixo orçamento pois os dois primeiros também são e o cinema independente está cheio de ótimos exemplares.

Olhos Famintos 3 é um filme sem graça, sem emoção, mal atuado, mal escrito e que dá até aflição do quão sem inspiração e desinteressante que ele é. Não sou lá muito fã dos dois primeiros, mas pelo menos ali existia uma criatura temível, com um pano de fundo bacana e uma história com pelo menos um pingo de vontade de ser criativa. Aqui o medo me deu lugar ao sono, a tensão deu lugar tédio e a sensação que fiquei quando os créditos finais sobem é que eu  podia ter gastado o meu tempo com alguma coisa muito melhor no quesito entretenimento. E olha que eu adoro uma bagaceira hein…

Victor Piacenti

Um cara fanático por Stephen King, que sente um prazer imenso ao ver uma cidade sendo destruída na tela do cinema. Além de ser sagitariano, não sabe andar de bicicleta, é viciado em coxinha e acredita (até demais!) em ETs.