Os melhores momentos de Desperate Housewives.

Browse By

Eu não sei você, mas apesar de às vezes sofrer com a vergonha alheia, eu tenho uma certa paixão por barracos. E de todas as séries que já acompanhei, nenhuma outra chega perto de Desperate Housewives quando este é o assunto. Provando que o subúrbio tá longe de ser um lugar chato, Desperate te derruba com acontecimentos a torto e a direita, seja porque você tá rolando de rir ou porque foi pego na cabeça por uma revelação ou plot twist chocante. Começando um ano antes de Grey’s Anatomy, Marc Cherry nos trouxe essa preciosidade e nos acertou na cabeça com ela, levanto a série a ser a mais assistida NO MUNDO por 6 anos consecutivos!

Vem comigo nessa aventura por Wisteria Lane, enquanto passamos por apenas 10 dos incontáveis grandes momentos dessa série… e claro, SPOILERS vão rolar 😉

O suicídio de Mary Alice

Mesmo com as constantes adições e subtrações do elenco geral da série, algo com que todo membro da audiência pode contar é com a “presença” de Mary Alice Young e sua voz celestial, narrando e nos dando novas dimensões das vidas de Wisteria Lane. Logo, embora mórbido, não dá para deixar o ponto chave de tal personagem fora dessa lista, nem colocá-lo em outro lugar que não no começo.

Lynette e o Furacão

Lynette Scavo. Publicitária. Guerreira. Mãe (de vários). Esposa. E humana. Ao longo da série Lynette passa por diversos momentos complicados. Alguns envolvendo seus filhos, outros seu marido, outros suas amigas e outros seus vizinhos, mas o que primeiro corre a minha mente é o momento logo após a dissipação do furacão que atinge Wisteria Lane. O grito de Felicity Huffman rasgou meu coração na primeira vez que vi essa cena e toda vez que a re-assisti (inclusive quando comecei essa lista).

Bree Abandona Andrew

De todos os momentos nessa lista, este é pessoalmente o mais importante para mim. Quando tinha lá meus 11/12 anos, costumava ficar acordado até tarde da noite, deitado em um colchão na sala para assistir a Desperate Housewives na RedeTV. Andrew foi a minha primeira referência de “pessoa gay” e consequentemente sua guerra contra sua mãe foi minha primeira referência da não aceitação de alguém (embora a Bree não aceitasse Andrew por muito mais que sua homossexualidade, ele era um baita babaca). Após o fim da segunda temporada (que acabou com essa cena) a RedeTV parou de exibir a série… Pensa que eu fiquei com esse final na cabeça por anos!

Susan Pelada

Descaradamente uma dramédia (rainha de todas as dramédias), Desperate Housewives teve momentos de te abrir no meio de tão tristes, mas também com muitos (MUITOS) momentos de ter entortar de tanto rir. A maioria deles curiosamente giravam ao redor de Susan Mayer, my spirit animal, a mais amável e atrapalhada de todas as donas de casa.

Tiroteio no mercado.

Como eu disse, Lynette passou por um punhado de momentos complexos ao longo da série e esse talvez tenha sido o mais tenso de todos eles. Apesar de nunca ter passado por tal situação, essas cenas de tiroteios (como a daquele episódio de Glee ou finale de Grey’s Anatomy) sempre me deixam com o cy na mão. Nesse caso, meu coração quase saiu pela boca no momento em que Lynette peita a assassina e depois voltou a rasgar meu coração com a impecável atuação de Felicity Huffman.

Bree atira no ex namorado.

Olha eu sei que essa lista tá uma tristeza só, mas sinceramente não queria reduzir a série a uma novela das 7, porém, esse momento específico transmite bem o que acontecerá com aquele que entrar no caminho de um jantar organizado por Bree Van de Kamp, mesmo que seja para declara seu amor (psicótico).

A morte de Mike.

Já na primeira temporada acompanhamos o nascimento do romance de Susan e Mike e ao longo das outras temporadas vamos sofrendo e nos alegrando com ela enquanto eles ficam juntos, terminam, reatam, ele a esquece, voltam, terminam, ficam com outros, tem o MJ, se separam e voltam… só para nos 45 do segundo tempo esse momento acontecer… Shonda fez seu nome em rasgar o coração do povo, mas Marc Cherry tem seus próprios requintes de crueldade 🙁

Quando levam o bebê da Gaby.

Gaby foi aquela personagem que não levou muito tempo para me conquistar (na verdade nenhuma delas precisou mais que 1 episódio… ok, talvez a Eddie). E assim como as outras ela tem sua parcela de sofrimento, mesmo sendo uma das mais engraçadas. E esse momento específico foi o que me fez oficializar minha paixão por essa personagem.

Intervenção da Bree

Talvez sendo a mais complexa (ou complexada) dentre as 5 principais, Bree acaba tendo muitos momentos profundos e humanos ao longo das 8 temporadas, mas é nesse momento da última temporada, que o arco da personagem alcança seu pico e continua lá até o último episódio.

Lynette e Tom se reconciliam nos 45 do segundo tempo.

Nem só de dor e sofrimento vive Marc Cherry e apesar de levar Mike Delfino de nós, ele nos permitiu ter nosso OTP master pro resto da existência. Com uma relação conturbada que talvez seja a melhor representação de um casal com família da vida real, Lynette e Tom tem seu momentinho de paz na última esquina da última temporada.

BÔNUS

Não trapaceei na lista, mas aqui está um bônus com compilação de acontecimentos + a cena final da série. O peito chega fica apertadinho.

Desperate Housewives deixou um cantinho vazio em mim que até hoje nenhuma outra série do gênero conseguiu preencher. Por seu elenco impecável, suas personagens incríveis e seus momentos absurdos tanto tristes quanto hilários, que é uma daquelas séries de tom único, cuja reputação reina por anos <3

Silas Mendes
Colaborador | Também do autor.

22 anos. ex-cinéfilo, deixou o cinema para viver com a TV e suas várias séries, mas mantém uma relação sadia com a sétima arte, com quem ainda divide laços afetivos (filmes favoritos). Música, livros, quadrinhos (DC Comics), escrita e ansiedade… cansado na maior parte do tempo.

>