Resident Evil 6: O Capítulo Final (Crítica)

Resident Evil retorna às origens no capítulo final e fecha com chave de ouro a franquia bilionária do filme de zumbis mais querido dos cinemas.

Após o susto que tivemos com Resident Evil 5: Retribuição (2012) temos a oportunidade de respirar fundo e ver o quanto seus roteiristas e produtores quiseram manter a raíz da franquia com um final bem feito. A megalomania é constante em Resident Evil e claro, quem sou eu para reclamar dos monstros mais bizarros e maravilhosos que aparecem em tela? E todo esse exagero não falta aqui, mas antes de entrar em detalhes preciso exaltar o fato que tiveram o cuidado de mostrar em um curto trecho alguns fatos vistos nos filmes anteriores logo no início.

O diretor Paul W.S. Anderson trouxe para os fãs o gostinho do motivo para estarmos ali mais uma vez.  O projeto Alice (Milla Jovovich) inicia mostrando onde tudo começou para ela, os colegas abatidos durante suas lutas, os bioanimais que surgiram em sua vida, os vilões, seus clones… tudo. Com o mundo cada vez mais devastado pós apocalipse, RE6 começa como tudo começou: muita ação e poucas palavras vindas da protagonista. E acredite: ação é o que não falta em seus 100 minutos de duração!

Alice está em uma destruída Washington, DC quando recebe uma missão da qual ela não pode negar e se direciona para Racoon City, o local onde tudo começou bem debaixo dos narizes do mundo: na Colméia da Umbrella Corporation. Como de praxe num horror comercial, sustos esperados e elaborados preguiçosamente aparecem logo de início e suas sequências se repetem ao longo da estrada e óbvio que mesmo que isso seja esperado não nos deixa menos tensos com toda a ação presente.

Conforme Alice avança, vamos venho caras conhecidas da franquia e também novas facetas que aparecem para morrer. A nova queridinha de Hollywood nos filmes de ação, Ruby Rose não poderia faltar e aparentemente tem recebido papéis semelhantes em todos os filmes mas vamos acompanhar… Ali Larter retorna como uma belíssima incognita como Claire Redfield e senti falta da Jill Valentine :(. De volta à Colmeia, temos a oportunidade de conhecer novos locais da incrível instalação da Umbrella (e também seus horrores). Uma empresa dedicada à pesquisas não deixaria seu local sem segurança, logo podemos ver criaturas de todos os tipos surgindo e em muitos momentos nos sentimos até em um jogo de Resident Evil.

Resident Evil: 6: O Capítulo Final fecha o ciclo de forma louvável e memorável, num filme repleto de ação, horror na medida, respostas importantes para uma longa franquia, com SURPRESAS e feito para fãs dos games.

Natalia Seibert

Sou a diferentona viciada em séries de TV, filmes e fã de Ashley Tisdale. 100% ariana, não manjo nada de signos e já usei muito a desculpa de não querer sair de casa por que estava bem confortável com pijama e pantufa em casa. Não assisto filmes de terror a noite e muito menos sozinha!