“Roda Gigante” tem uma atuação impecável de Kate Winslet.

 

Roda Gigante, novo filme de Woody Allen, é ambientado nos anos 40/50 em Nova York no parque de diversões da praia de Coney Island e conta a história principalmente de quatro pessoas, Ginny (Kate Winslet), uma ex atriz que não deu certo por conta de seu temperamento e alguns problemas que causou e que carrega esse arrependimento e amargura sendo garçonete de uma lanchonete do local, ela mora com seu filho ainda criança e seu marido Humpty (Jim Belushi) que trabalha no carrossel do parque e não tem grandes ambições a não ser fazer seu trabalho e pescar com os amigos. Na praia trabalha o salva vidas Mickey (Justin Timberlake) um jovem que faz faculdade para ser escritor, é bem sedutor e gosta de arte, o que acaba seduzindo Ginny instantaneamente. Humpty tem uma filha, Carolina (Juno Temple), de uma relação antiga, que fugiu de casa para se casar com um mafioso e volta a procurar o pai pois precisa de ajuda para fugir da relação, caindo de paraquedas no meio da confusão e drama da história.

O filme é narrado pela perspectiva do personagem (meio canastrão) de Justin, o salva vidas … o que para mim foi uma surpresa. A história até pode ser um pouco mais do mesmo, e como nas outras tramas do Woody Allen, traz traição, amor, ilusão.. não achei tão original o enredo, mas ele vai tomando um outro rumo e nos conduzindo sim para um meio/final bem mais interessante.

A estética sem dúvida deu um outro clima, junto com direção de arte e fotografia que valem muito a pena. Realmente parece que estamos no verão dos EUA nos anos 50 e na praia de Coney Island. Com o maior cuidado, o parque de diversão, as lanchonetes, os figurinos, as roupas de praia, são fielmente retratados. A chuva constante e o calor chegam a nos incomodar. Lembra algo como Estados Unidos de “raiz”. Aliás vários locais e paisagens de Nova York são homenageados no filme.

Justin Timberlake está ótimo no papel, fazendo o que deve fazer mesmo, cumprindo seu papel. Jim Belushi também traz muita verdade com essa figura mais popular e trabalhadora, sempre sujo e suado consertando algum defeito do carrossel, parece que ele já nasceu assim. Mas sem comparações,  Kate Winslet, que teve o papel escrito exclusivamente para ela e é a primeira vez que trabalha com o diretor, está maravilhosa, rouba a cena e ganha o filme. Uma atuação impecável que chega ate a irritar, já que a personagem dela começa o filme um pouco nervosa, entediada, desgastada e cansada  e esse sentimento vai crescendo tanto no decorrer do filme, que no final chega a ficar neurótica e descontrolada (sem spoilers). Isso vai incomodando realmente, dá até nervoso! Chega a ser bem teatral e carregado de drama, mas mesmo o enredo sendo mais do mesmo, ele nos conduz pra algo novo o que é bem bacana.

Roda Gigante é um filme gostoso, bem construído e ambientado (parte impecável) que vai numa crescente e consegue mexer com a gente de alguma maneira, mesmo que seja pelo calor e chuva constantes e pela ansiedade dos personagens. E os atores merecem, né gente?!

Alessandra Ganan

Nasceu e cresceu em São Paulo e hoje é graduada em Letras, Artes Cênicas e Audiovisual, mas quando criança só brincava de ser outras pessoas. Assistiu sua primeira série e filme “de adulto” aos 11 anos e de lá para cá nunca mais parou. Apesar de ariana, é uma pessoa legal.

>